Iluminar os dias, continuando a sonhar que é possível viver...

Minha foto
Setubal, Portugal
Um abraço, uma palavra, um sorriso... um caminho que poderá ser muito longo. Afinal é possível.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Diário: 8 setembro de 2006 ( cont.)


Durante o tratamento, não se sente grande coisa, que não se suporte. Nada doi, a não ser na alma. Picam-me na mão esquerda bem perto do anelar, para me injectarem o primeiro tratamento.E disseram-me que parecia-lhes melhor iniciar o tratamento pela mão, porque se a veia não suportar ou se "rebentar", passam para uma do pulso, e só depois para uma a meio do braço. Sempre debaixo para cima, e nunca pode ser o inverso. Primeiro vem o soro, para preparar a veia... depois injecções dadas pela mesma entrada na veia, uma delas diminue as nauseas e os vomitos durante umas horas. Para além do frio sentido devido aos liquidos incolores e gelados, começa-se a sentir um formigueiro arrepiante na vagina que a mim me contraia inexplicavelmente os joelhos. E ali ficava meio arrepiada à espera que pouco depois passasse, tal como me tinha informado a enfermeira. Pouco tempo depois de iniciar a transfusão do liquido vermelho ( este o responsável pelas nossas exuberantes carecas), senti frio.Tocava o braço injectado e sentia-o gelado. Era aquele arrepio de gelo que me subia e descia... descia e subia pela espinal medula. A enfermeira trouxe-me para me cobrir o braço um resguardo, daqueles que se metem nas camas, por cima do colchão e antes do lençol, impermiável dum lado e algodão acolhedor, do outro.


O liquido tinha de correr mais vagorasamente do que o normal, doia se assim não fosse. E o tratamento demorou cerca de uma hora. Sai de lá, a caminho do elevador para descer ao 1ºandar onde é a saida para o parque. O joel foi buscar a carrinha, enquanto eu fiquei sentada na escada... sorria para o lindo dia azul de verão e dizia contente a mim mesma: "Menos um...só faltam cinco".

Tem de ser assim a contagem....sempre menos um...

Eram umas 12h 35m, lembro-me de ter olhado o relógio, já iamos a caminho de casa...como me parecia estar bem sem qualquer mal estar, só um pouquinho fraca das pernas, dicidimos parar a meio caminho e ir almoçar num restaurante daqueles "de camionistas" que por esta estrada fora, Nacional nº10, existem.São alguns os restaurantes que exibem aquelas travessadas enormes de comida farta que enfartam brutos, a que chamam doses, mais especificamente para enfartar pessoal da construção civil e camionistas. E este devia ter tambem um chamariz especial para familias ciganas, estavam lá umas quantas, com crianças a chorar, e pais a gritarem, um éden ... Acertamos em cheio no restaurante, para quem acaba de fazer uma quimioterapia. Pronto, digamos que é um optimo restaurante de camionistas, ciganas e pessoal que vem da quimio.Comemos corvina cosida com feijão verde e batatas cosidas. A comida era boa. Não comi muito, não me senti mal.

Chegamos a casa, fiquei sozinha pela tarde fora, deitada no sofá, televisão ligada... sempre à espera de uma reacção qualquer...mas nada acontecia de diferente. Só um calor, que vinha de dentro, e aquela sede ou necessidade de ingerir bastantes liquidos, principalmente agua. Era ver-me sempre seguida por uma garrafa de litro e meio de agua, para onde quer que fosse.

Fui buscar o meu filho ao colégio, fomos para casa, dei-lhe banho... ele ia fazendo a birrinha habitual, para se vestir. Pus ao lume um bife de peru...e arroz branco.... Começavam a chegar as minhas visitas para saberem como tinha corrido o primeiro tratamento. Os telefonemas tambem se fizeram sentir, e sabem sempre bem...e eu como se nada fosse, nem ponta de efeitos secundarios.Era a Paula preocupada: " amiga, deves estar a sentir-te tão mal!"...e eu acalmava-a com a verdade " qual quê! não sinto nada! não te preocupes, isto está a correr bem". A Mila pronta para dar à luz, preocupadissima:" nem te posso ajudar, Isa! logo agora que estou à espera das contracções, o tempo ja acabou, e o meu Beto deve estar quase ai!". " Vai lá descansada para o hospital, que eu vou lá ter...não posso perder os primeiros dias do nosso Beto! "...dizia-lhe. A minha sobrinha Ni abraçava-me e dizia com as lágrimas nos lindos olhos esverdeados que eu tanto gosto: "Vamos conseguir...".

À noite, quando me deitei na cama para dormir, ai começou a má disposição... sem posição para estar com a cabeça, o urinar constante devido aos liquidos ingeridos, a mesma cor vermelha que corria dos frascos envoltos em papel de aluminio, pelas borrachas até ao meu corpo, saia agora em forma de urina, bem vermelha. Consegui adormecer e acordar pela noite umas quantas vezes, com muito calor no corpo. Pela manhã, o Joel olhou e disse-me: " caramba tu estas toda vermelha!"... e assim fiquei durante uns dias .... a dormir mal, agoniada pela noite fora ingerindo aqueles comprimidos que nos receitam logo, para o estômago.As dores no braço eram algumas, e eu descansava enquanto o Miguel estava no colégio, mas quando ele regressava, tinha umas horas de trabalho arduo pela frente. Principalmente quando conclui, depois de acontecer uns quantos dias seguidos, o Miguel só fazia as fraldadas cheias e cheirosas, no regalo do lar. Isto traduzido, era exactamente o que me provocava as grandes agonias no rescaldo das quimios... Eram os banhos, o jantar, o entretenimento, o receio que algo acontecesse se eu não estivesse atenta...ele tem vinte seis meses, todo o cuidado é pouco.Pela manha, aqueço-lhe o leite e ponho-o no biberon, e é lava-lo, vesti-lo, pentea-lo e a maior parte das vezes leva-lo a escola. Por outro lado, toda esta correria não me deixava ter tempo para queixumes nem para grandes introspecções, mantendo ocupado o fisico, não havia quase espaço para pensar coisas desnecessarias. Sempre a maior força de todas, a maior garantia para me salvar, era o não puder fraquejar, o não puder encostar-me à cama...o meu filho precisa de mim.

Porque para alem de todo o auxilio que me possam oferecer, ele só pode contar comigo e eu com ele. Queria protege-lo, quero dar-lhe muito amor, muita segurança, muito colo, e na noite... adormece,abraçado a mim ou com a mão pequenina na minha...tão bom quando me diz " és giaaaa mãezinha".

8 comentários:

laura disse...

......
Isa querida!
Li depressa e pouco posso comentar.
Sabes, vou a uma festarola, baptizado, aniversários, tudo junto, e é longe, são 14,15, mas tenho de ir compor o visual (que é para impressionar!) Agora do que li só fiquei com aquela de te dar para beber agua, olha se era outra coisa?!

Não ligues, eu sou muito malandra.

Amanhã, comento o Blog e a festa, tá bem? beijinhos, nunca vos esqueço. laura

retratoiluminado disse...

Ola Laura, já tenho saudades tuas, do nosso cafezinho, mas estou muito contente por ti amiga, poe-te bem bonita e vai à festa!...tu és a festa! Não te esqueças de contar como foi a festança! beijinho.Isa.

Platero disse...

Olá Isa

Como prometi cá estou, e li o teu relato da quimio, como a minha primeira sessão foi internado, só passei por algumas destas experiências, que foram a urina colorida - laranja com a quimio laranja e esverdeada com o Blue Curaçao . e a pele vermelha com a aguardente de medronho.

Mas é muito com ocnseguirmos falar destas situações até para que outros que estão no mesmo barco consigam sentir que não é fácil, mas é ultrapassável!

Um abraço forte

Manuela disse...

Isa,

Continuo a ler este teu "diário" com a certeza de que estás a fazer uma purga, por um lado, e a ajudar imenso quem passa pelo mesmo agora, por outro.

Como diz o Platero, tudo isto não é nada fácil, mas é ultrapassável... E essa mensagem é muito importante para quem está a iniciar os ciclos de tratamentos.

Um beijinho

laura disse...

....
Isa querida!
Fiz aqui um trabalho giro, acho eu , sobre o teu
texto, e não é que hoje deu-me para visualizar, resultado, não sei la o que fiz desapareceu....

Agora já é tarde e o jantar tem de ser feito. Estou muito aborrecida.
Bjs grandes e fôfinhos, laura

laura disse...

....
Isa querida!
Acabei de ligar para o teu tele. e olhei para o relógio10.45, desculpa já é muito tarde, estava distraída e nem dei pelas horas.

Sobre o teu texto, estive a lê-lo e fiquei com a ideia de como te foi difícil aguentares o fardo quase só. Meditei e cheguei à conclusão como eu e muita gente se lastima com uma pequena doença e tu conseguiste ultrapassar a químio, que não é flor que se cheire, manter uma criança de 26 meses,o medo que tiveste de falhar alguma coisa com ele, atendendo a todo o sofrimento que tinhas; realmente és uma valente, ultrapassaste a químio vigiaste o teu filho. Venceste! Venceste! Admiro-te muito, eu nas tuas condições não aguentaria!

Asemana passada, tive muitas saídas e também o jardim leva-me muito tempo, é grande e tenho de o vigiar muito, e este ano com este tempo, chove não chove, calor, frio, tem-me estragado muita coisa. Hoje esteve frio, vento e chuva.

Sobre o baptizado, correu tudo bem, a festa foi muito bonita. Foi o baptismo da menina e os anos do pai e do avô, foi giríssimo, muita gente, parecia um casamento.

Já é tarde, vou descançar, recebe muitos beijinhos. laura

isa disse...

Ola Platero, gostei que tivesses passado por aqui, tenho de passar pelo teu blogue para saber se ja foste chamado ao sétimo... vai tudo correr lindamente amigo!... estamos todos contigo... a prepósito não conhecia essa tua faceta de camaleão...mas é interessante.

Obrigada Manuela pelas palavras, e de facto tens razão quando dizes que me estou a ajudar ao escrever sobre o que se passa comigo ou passou. E as tuas férias amiga?...estão a correr bem?...então não!imagino.Muitas felicidades.

Ola Laura linda, com que então tinhas um texto preparado e apagou-se?...por isso ficaste muito aborrecidita? realmente, estas maquinas às vezes tramam-nos. Vi a tua chamada no dia seguinte, com muita pena minha, mas fica para a proxima...tenho tido uns dias muito cansativos. Se bem que a Laura tem sido só festas...ainda bem, é tão bom estar com amigos, deitar conversa fora, enfim, diversão.

Mas falando mais a sério...Laura, não foi fácil... mas nós somos muito fortes, aguentamos tudo. És uma pessoa muito querida ...perpicaz...sensivel...
obrigada.

Beijo a todos...
Isa.

Muxaxa lili disse...

Ao ler o k escreves-te parece k o tempo foi tao rapido..parece que foi tudo tao derrepente..mas..eu tinha razao..conseguimos..ou melhor..TU conseguiste..e é por isso tudo que te admiro ainda mais e respeito..es muito importante para mim..pela nossa grande cumplicidade, pelas nossas malukeiras..adoro-te por tudo o que és..um bjo bom da Ni